Secretaria da Mulher recebe coordenadores da Vigilância em Saúde nesta terça-feira (09)

9 de março de 2021

Objetivo desse encontro foi buscar apoio e apresentar a Secretaria a criação de um grupo técnico de violência em Gravatá

A Prefeitura de Gravatá por meio da Secretaria de Saúde visitou na terça-feira (09) a Secretaria da Mulher para falar sobre o grupo técnico de violência na cidade. Na ocasião, a equipe da Vigilância em Saúde composta pela coordenadora de Vigilância em Saúde, Tárcila Saborido, e o coordenador de Vigilância Epidemiológica, Erik Gonçalves apresentaram como será a dinâmica do grupo.


A reunião contou com a presença da psicóloga, Juliana Vieira, da assessora jurídica, Soraia Aragão, da secretária executiva Maria Nascimento, e da secretária da Mulher, Ester Gomes.

O intuito deste encontro foi apresentar a criação de um grupo técnico de violência em Gravatá. De acordo com os dados epidemiológicos, é notório ver que o município está em fase silenciosa, então até o momento não existem dados suficientes que caracterizem violência na cidade.


Algumas violências são de notificação compulsória como a violência contra a mulher, idosos, crianças, adolescentes, e população LGBT. Visando isto, é necessário realizar a captação desses casos mais importantes e os inserir na rede de violência.

Vale pontuar que, essa rede de violência é descoberta convidando alguns atores envolvidos e que consigam dar assistência e captar esses números, como a Secretaria da Mulher, Assistência Social, CTA/SAE que atendem vítimas de violência sexual e oferecem acompanhamento psicológico, e Conselho Tutelar.


De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde, Tárcila Saborido, o primeiro contato já foi realizado com as respectivas secretarias e equipes e atores envolvidos. “Agora vai ser feito a capacitação da rede, mostrar instrumentos de coleta de dados para que eles saibam notificar de forma sigilosa, porém é preciso que esses dados sejam mostrados para que o perfil da vítima de violência no município seja traçado para que estratégias de políticas públicas possam ser fornecidas a eles”, enfatiza.


Para Ester Melo, secretária da Mulher, essa é uma iniciativa importante dada a necessidade de trabalhar em rede e não poderia ser diferente dentro desse contexto em discutir o cometimento de vários tipos de violência. “A Secretaria da Mulher se coloca nessa relação com o serviço de vigilância em saúde para o registro a partir de um instrumental que é esse sistema de informações. A Secretaria passa também a proceder com esses preenchimentos dos casos que aqui chegam que são de demandas relacionadas com a violência cometida contra mulher”, disse.

Reportagem: Mathilde Souza
Fotos: Anderson Souza

Last modified: 9 de março de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content