Gravatá tem ações em alusão ao Maio Laranja de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

18 de maio de 2021

A Lei Federal 9.970/2000 estabeleceu o dia 18 de maio em memória de Araceli Crespo, criança de 8 anos de idade, que foi sequestrada, violentada e assassinada nesta mesma data há 48 anos

Maio é o mês da Campanha Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, e a Prefeitura de Gravatá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Juventude, realiza ações dentro da programação voltada para o tema.

Dentre as ações, a equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social de Gravatá – CREAS teve a iniciativa de colher assinaturas, em um termo de compromisso gigante, com funcionários de diferentes setores da Prefeitura e que abraçam a causa. A ação simbólica começou ontem e seguiu até esta terça-feira (18).

A data de hoje em especial foi lembrada pela gestão municipal, pois a Lei Federal 9.970/2000 estabeleceu 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, em memória de Araceli Crespo, que foi sequestrada, violentada e assassinada aos 8 anos de idade, nesta mesma data em 1973.

O Prefeito, Padre Joselito Gomes, e a primeira-dama e secretária municipal de Assistência Social e Juventude, Viviane Facundes, assistiram a um minicurso, de 50 minutos, ministrado pelo professor Jefferson Santana, que visa ampliar o olhar de proteção através dos profissionais que lidam diretamente com esse público, como Agentes Comunitários de Saúde (ACS), enfermeiros das Unidades de Estratégias de Saúde da Família (ESF) e equipes do Programa Criança Feliz.

A Secretaria Assistência Social e Juventude e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA) estão realizando esses minicursos nos CRAS e CREAS da cidade, até o próximo dia 20 de maio.

Velúzia Rodrigues é presidente do COMDICA e explica porquê é importante a realização deste minicurso. “Esses minicursos foram feitos para mostrar que os abusos são muito silenciosos, então, por exemplo, agente de saúde, CREAS, CRAS, assistente social, professor, têm que estar atentos a esses sinais que as crianças e adolescentes dão quando elas estão sofrendo essa grande agressão que vai marcá-las pra vida toda. Por isso é importante esse tipo de orientação para os profissionais que lidam diretamente com essas crianças e adolescentes, que podem identificar alguma coisa nas visitas que fazem, por exemplo”. 

O prefeito, Padre Joselito, chama esse compromisso para toda sociedade. “Um tema que sempre está em pauta, que requer esclarecimento e uma tomada de consciência ainda maior, daí a necessidade de encontros assim, com informações esclarecedoras para que principalmente possamos nos colocar na posição de prevenção. A vida deve ser acolhida, cuidada, protegida, desde sua concepção até o seu declínio natural e quando a criança ou o adolescente é explorado sexualmente deixa marcas negativas profundas naquele ser humano, de modo que precisamos nos preparar também para que haja o trabalho de prevenção e, como os números indicam, a maior incidência dessa situação ocorre infelizmente no ambiente familiar. Então, cabe a nós na tomada de consciência e uma postura de cuidado e proteção para que aquela criança ou adolescente possa crescer recebendo uma formação equilibrada, harmoniosa, e assim sendo sejam preservados de todo e qualquer tipo de violência, de modo especial, a violência  sexual”. 

Qualquer cidadão pode denunciar possíveis abusos e violências pelos canais:

Disque Direitos Humanos – 100

Disque Direitos Humanos WhatsApp –  (61) 9 9656-5008   

Plantão do Conselho Tutelar – 9 8871-5153

 

Reportagem: Ana Paula Figueirêdo

Fotos: Nilson Silva (SECOM)

 

 

 

Last modified: 18 de maio de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content