Secretaria de Saúde inicia cadastramento dos moradores do Bairro Porta Florada nesta segunda (19)

19 de agosto de 2019

Foto: Bruna Oliveira/SECOM Gravatá

A Prefeitura de Gravatá, através da Secretaria de Saúde, iniciou nesta segunda-feira (19) o cadastramento das famílias do bairro Porta Florada com o objetivo de fazer um levantamento do número e do perfil das pessoas que moram no local. Os dados do mapeamento ajudarão a decidir quais as melhores medidas que serão tomadas para que toda a comunidade seja alcançada pelos serviços de saúde do município com maior frequência, já que o bairro está em uma área distante das Unidades de Saúde da Família (USF’s) da cidade.

Dentre as ações que já estão sendo pensadas para contemplar toda a comunidade com a oferta de serviços de saúde pública de maneira mais eficaz, estão as possibilidades da instalação de um posto volante de saúde, com uma equipe que visitaria a comunidade regularmente para a realização de exames e atendimentos médicos, ou, até mesmo, a implantação de uma USF na localidade.

“Iremos fazer esse levantamento de dados e cadastramento de famílias em todas as comunidades mais afastadas de Gravatá, para que a gente possa estar pensando em alternativas que permitam o acesso às políticas de saúde por toda a população, para que a distância da residência para as USF’s não seja motivo para que as pessoas fiquem desassistidas pelo trabalho do SUS. Nosso objetivo agora é saber quantas, quem são as pessoas desse bairro e quais necessidades apresentam hoje. É de grande necessidade estar na porta dos moradores colhendo essas informações e é importante que todos participem, colaborando com a pesquisa”, esclareceu o Secretário de Saúde, Luiz Ribamar Melo.

São cerca de 15 agentes comunitários de saúde da USF Ana Caminha I que estão indo até as casas dos moradores do bairro para recolher informações como nome, data de nascimento, quantidade de pessoas na casa, dados do cartão de vacina, cartão do SUS, além do levantamento do número de moradores hipertensos e grávidas. A ação terá duração de duas semanas.

“Sou agente de saúde há 11 anos e essa é a primeira vez que vejo uma iniciativa dessas sendo feita por um prefeito. Esse levantamento realmente é de extrema importância, pois, assim, saberemos a real situação do bairro e veremos qual será a melhor solução pra que ninguém fique sem cuidados médicos e, também, para que todos tenham facilidade nisso”,disse Vilma Noemi.

Tatiane Moura foi uma das moradoras que já participou da pesquisa e falou sobre as melhorias que ela espera ter após a realização dos cadastros.

“A realização dessa pesquisa é ótima, pois não tínhamos um posto de saúde por perto pra irmos. Pra ser a tendido, a gente tinha que ir pra longe e isso dificultava. Agora, receberemos atendimentos bem perto de casa e não vamos mais ter que se locomover sempre ao hospital, por exemplo”.

Last modified: 19 de agosto de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content