Secretaria de Assistência Social promove campanha contra a exploração infantil

1 de abril de 2019

Fotos: Bruna Oliveira/ SECOM – Gravatá

A Secretaria de Assistência Social e Juventude está realizando uma camapanha contra a exploração infantil, através das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – (AEPETI), em toda a cidade.

Nesta segunda-feira (01), um grupo do AEPETI realizou a distribuição de adesivos e panfletos nas lojas do centro de Gravatá com a mensagem “Diga não à exploração infantil”. O objetivo da ação foi conscientizar os lojistas e os clientes, ao afirmar que a empresa que tem o adesivo é livre deste problema social.

Felipe Pessoa, Coordenador do AEPETI, explica que o tema é de extrema importância para toda a sociedade civil.


“A cada dia mais nos deparamos com crianças trabalhando. Esse tema é de extrema importância, porque acreditamos que o trabalho infantil, apesar de ser crime, ainda está muito presente entre nós. Então, essa campanha é para conscientizar a todos.  Estamos visitando as escolas, os lojistas, empresas públicas e privadas,” explicou.

Willian Cleber, um dos responsáveis por uma drogaria no centro da cidade, diz que a educação é essencial para as crianças e que ela é a base para o combate a qualquer tipo de exploração.


“A gente sabe que a educação é essencial para o desenvolvimento de uma criança. Além disso, acredito que a educação de qualidade é a principal arma contra o trabalho infantil,” disse.

 


“Esse trabalho de conscientização é muito válido para os estabelecimentos, pois muita gente contrata crianças para trabalhar, mas o lugar de criança é na escola,” acrescentou Adilson Bezerra, dono de uma loja de móveis do município.

O tema também está sendo debatido nas escolas da cidade, através de palestras, que tiveram início na última quinta-feira (28), na Escola Monsenhor José Elias de Almeida – (CAIC). Os debates continuaram na tarde desta terça nas escolas do Bairro Novo, Devaldo Borges e na ODIP.

O AEPETI tem o objetivo de intensificar a cobertura e qualificar a rede de proteção social do Sistema Único de Assistência Social – (SUAS), criando uma agenda intersetorial que envolve conselheiros tutelares, agentes de saúde, professores e outros profissionais da rede de proteção das crianças e dos adolescentes.

 

Last modified: 1 de abril de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content