Programa Criança Feliz terá apoio das Secretarias de Saúde e de Educação

5 de dezembro de 2018

Fotos: SECOM/ Gravatá

O Programa Criança Feliz, desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social e Juventude desde o início do mês de novembro, terá agora o apoio das Secretarias de Saúde e de Educação.

Com o objetivo de preparar os profissionais da saúde que passarão a atuar no programa, a Secretaria de Assistência Social promoveu na manhã desta quarta-feira (05) uma capacitação para os Agentes Comunitários de Saúde – (ACS) e enfermeiros dos postos de saúde do município.

O encontro ocorreu no auditório Professora Sandra Belarmino, no prédio da Secretaria de Educação. Os 190 profissionais foram divididos em duas turmas. A primeira se reuniu no período da manhã das 8h às 10h. Das 10h às 12h, reuniu-se a segunda turma. Na ocasião, os profissionais obtiveram informações sobre o funcionamento do projeto e sobre suas atribuições no processo.

A psicóloga e supervisora do projeto,Everline Andrade, explica que a atuação dos ACS será imprescindível, pois, muitas vezes, famílias prioritárias não fazem o uso de um determinado programa do município por não saberem de sua existência. Então, estes profissionais auxiliarão na identificação e divulgação entre as famílias que se enquadrarem nos critérios para a participação no programa.

“Fazer com que aquela população, aquele público alvo tenha a sua autonomia e seus direitos de fato assegurados e que aquela criança ou gestante consigam estabelecer um fortalecimento de vínculo com a sua família. Este é o nosso objetivo e devemos ir até eles”, acrescentou Everline Andrade.

Josenilda Soares, Agente Comunitária de Saúde há 21 anos, fala da importância de saber mais informações do Programa Criança feliz.

“É muito importante obtermos informações sobre o programa, pois só conhecíamos no dia a dia. Não estávamos por dentro de tudo. Agora, vamos poder ajudar melhor as famílias que visitamos”, falou.

Os gestores das escolas municipais, representando a Secretaria de Educação, estarão passando por capacitação até o final do mês de dezembro, para também atuarem como multiplicadores do projeto no âmbito educacional das crianças que participam do programa.

O psicólogo e coordenador do programa, Alyson Pereira, diz o quão importante é a junção entre as secretarias.

“A máxima do programa é a integração das políticas públicas. Então, não tem como o ele funcionar e se fechar na Secretaria de Assistência Social. Um dos pilares do Criança Feliz é a questão da intersetorialidade, ou seja, saúde, educação, assistência, direitos humanos, todas as políticas públicas juntas para trabalhar a integralidade das famílias gravataenses”, esclareceu.

O Programa Criança Feliz tem como principal objetivo fortalecer os vínculos familiares de comunidades em situação de risco, entre crianças de 0 a 6 anos de idade com os familiares e que recebam o Benefício de Prestação Continuada – (BPC) e que estejam cadastradas no Sistema do CadÚnico.

Last modified: 5 de dezembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content