Prevenção: Prefeitura segue realizando exames de Tracoma nas escolas municipais

23 de outubro de 2018

A Prefeitura de Gravatá continua intensificando as ações de saúde em toda a Rede Municipal de Ensino. Nesta terça-feira (23), cerca de 200 alunos da Escola Adalgisa Gonçalves Soares da Silva passaram por vários testes oftalmológicos, com análise de eversão da pálpebra.

A ação é uma continuidade de um trabalho que teve início na Escola Municipal Amenayde Farias do Rego Barros no dia 25 de setembro. A iniciativa tem o objetivo de identificar precocemente o Tracoma, infecção ocular causada pela bactéria Chlamydia Trachomatis. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a doença é responsável por danos visuais em 1,9 milhões de pessoas em todo o país.

“Nossa intenção é informar os jovens e orientá-los logo cedo quanto ao tratamento. Só nesta escola, dois alunos foram identificados com a doença e seus responsáveis foram informados. Os estudantes tomaram a medicação de dose única e receberam todas as orientações necessárias”, disse Pietra Lemos, Assessora da Vigilância Ambiental.

A campanha de prevenção segue nas escolas do município com a oferta de exames gratuitos e orientações médicas.

Saiba mais sobre o Tracoma:

A doença inflamatória dos olhos, causada pela bactéria Chlamydia Trachomatis, é conhecida como Tracoma. .

Com maior incidência de casos em crianças, quando diagnosticado, o Tracoma permite fácil tratamento, mas necessita de cuidados. Em muitas situações, a doença pode não apresentar sintomas, mas algumas lesões provocam o atrito da pálpebra com a córnea, que prejudicam a visão.

É importante ficar atento aos olhos. Se estiverem vermelhos, irritados, lacrimejantes, com secreção, coçando, com sensação de areia e intolerância à luz, é hora de procurar um médico.

Sua transmissão ocorre por meio do contato com a secreção dos olhos de uma pessoa que esteja contaminada. Isto costuma acontecer principalmente em ambientes coletivos, como escolas e creches. Objetos contaminados, como roupas de cama, lenços e toalhas também podem transmitir a bactéria.

Para evitar o contágio, a dica é incentivar e dar o exemplo para crianças lavarem as mãos e o rosto várias vezes ao dia, não coçarem os olhos, não usarem toalhas ou lenços de outras pessoas e, até mesmo, evitarem dormir na mesma cama com várias pessoas.

Os fatores de risco, claramente associados à ocorrência do Tracoma, são as baixas condições socioeconômicas e ambientais. Saneamento básico, acesso à água potável e destinação adequada do lixo são medidas importantes para evitar a doença.

Fonte: Ministério da Saúde.

Last modified: 23 de outubro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content