Prefeitura de Gravatá realiza coletiva de imprensa para falar sobre os primeiros quarenta dias de gestão

12 de fevereiro de 2021


Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, secretários divulgaram
saldo dos primeiros 40 dias atribulados do novo governo municipal

A gestão do prefeito de Gravatá, padre Joselito Gomes, completou 40 dias e, na quinta-feira (11) para foi realizada uma coletiva de imprensa direto do auditório da Secretaria de Educação e transmitida ao vivo pelas redes sociais da prefeitura. Na ocasião, estiveram presentes todos os secretários municipais da gestão.

O secretário de Administração de Gravatá, André Fernandes, foi o mediador da live e iniciou a transmissão com uma denúncia grave. “Na instalação de redes wifi no gabinete do secretário de Finanças, nós descobrimos a presença de um equipamento de escuta telefônica, bem como de uma câmera instalada numa luminária. A partir daí, o prefeito Joselito determinou uma varredura nas secretarias e foi encontrado mais um equipamento de escuta em cima da mesa do presidente da Comissão Permanente de Licitação que transmitia as informações captadas via wifi para algum lugar”.

Após a constatação disso, foi solicitada a presença da Polícia Civil de Pernambuco, que se apresentou por meio do Instituto de Criminalística (IC). Com o perito, foi localizado também o terceiro equipamento de escuta. Dessa vez, ele estava escondido em uma tomada de energia no gabinete do prefeito.

“Esses equipamento foram entregues à Polícia Civil e as providências na ordem criminal já foram tomadas e estão sob o cuidado do Ministério Público de Pernambuco e da Delegacia de Polícia de Gravatá. Para que isso seja esclarecido e preste satisfação à sociedade gravataense de quem determinou a instalação dessa escuta e da câmera, e também para onde esses dados estavam sendo encaminhados e para atender a que interesse”, destacou o secretário.

André Fernandes também apresentou todas as dificuldades comuns em todas as pastas que a atual gestão encontrou a partir do período da transição entre os governos. Entre elas: a falta de computadores em todas as secretarias e também, a falta de informação nos computadores que estavam nos prédios públicos.

“As principais dificuldades que encontramos assim que assumimos foram os caos financeiro e administrativo com que nos deparamos, sobretudo com a falta de informações. Grande parte dos computadores eram alugados e, com isso, foram devolvidos à empresa contratada a pedido da atual gestão. Não tivemos acesso às redes sociais da prefeitura, nem a senha do site para alimentar Portal da Transparência, por exemplo, e não tivemos acesso a informações essenciais para os primeiros dias. Falta de recursos em caixa para tocar as primeiras ações e um débito de aproximadamente R$ 14 milhões só na Secretaria de Saúde”.

Ao todo, 16 secretários comandam as pastas que auxiliam o prefeito padre Joselito Gomes na gestão de Gravatá.

Reportagem: Ana Paula Figueirêdo
Fotos: Nilson Silva (SECOM)

Last modified: 12 de fevereiro de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content