Prefeitura de Gravatá apresenta projeto de terapia com uso de cavalos

13 de fevereiro de 2021

Ideia é atender crianças carentes que têm algum tipo de deficiência

A Prefeitura de Gravatá apresentou, no Haras Arena, localizado no Km 84 da BR-232, um projeto inovador para as crianças com deficiência de baixa renda da cidade. Trata-se do projeto de Equoterapia, que utiliza os cavalos na reabilitação dessas pessoas.

A ideia do projeto surgiu com a tramitação na Câmara dos Deputados do Projeto de Lei 3446/19, que incentiva a implantação da equoterapia no Sistema Único de Saúde (SUS).

Um dos sócios do haras, Adnilson Venceslau, fala como aceitou participar do projeto. “Temos interesse em participar do projeto em benefício das crianças especiais. Eu mesmo tenho um sobrinho neto que é especial e sei a dificuldade que a família tem para acessar determinados tratamentos que apenas a classe A teria condições. Então é uma satisfação participarmos desse projeto. Sempre que possível estamos dispostos a ajudar essa nova gestão porque queremos o bem de Gravatá”.

O assessor técnico da secretaria de Saúde de Gravatá, Leonardo Lima, explica como funciona a equoterapia. “É um método de tratamento multidisciplinar que usa do fisioterapeuta, do psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, junto com a terapia com o cavalo desenvolve as ações para a reabilitação, equilíbrio, melhora postural dos pacientes com deficiência. Esse projeto terá investimento da prefeitura, das secretarias municipais de Saúde e Turismo, e de parcerias e convênios”.



O secretário municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Júnior Darita, fala que “esse projeto é uma necessidade da sociedade gravataense, pois esse tipo de tratamento é acessível apenas para pessoas que podem pagar o custo alto de uma equoterapia. Meu filho é especial e sei o investimento demandado. É uma vontade latente da gestão em ajudar quem mais precisa”.


O prefeito padre Joselito Gomes explicou porque apoia o projeto. “Nossa gestão, de forma alguma, deve ficar indiferente a existência da pessoa com deficiência em nosso município. Temos a presença do SERC, do CIG, entidades que já desenvolvem um bom trabalho no acolhimento e atendimento de pessoas com deficiência. A estrutura do Haras Arena é muito boa para a equoterapia, para a reabilitação das pessoas que precisam de um tratamento assim. Temos interesse em apoiar e ampliar as políticas públicas voltadas para a pessoa com deficiência”.


Reportagem: Ana Paula Figueirêdo
Fotos: Ednaldo Lourenço (SECOM)

Last modified: 13 de fevereiro de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content