Prefeito amplia a atuação dos agentes comunitários de saúde no Bairro Alpes Suíço

10 de outubro de 2019

Foto: Bruno Sant’Ana/SECOM Gravatá

A Prefeitura de Gravatá, através da Secretaria de Saúde, tem realizado um trabalho de expansão do trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) em todos os bairros da cidade, principalmente, nas regiões que ficam mais distantes das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Este é o caso do Bairro Alpes Suíço, que, atualmente, conta com uma ACS exclusiva para atuar na localidade, que atende às demandas da população, nas orientações, cadastramentos e encaminhamentos das famílias aos serviços de saúde pública do município.

“Desde que fui remanejada pela Secretaria de Saúde pra trabalhar exclusivamente nesse bairro, a comunidade passou a ser melhor assistida, já que, regularmente, faço a visita nas casas, passo as informações das ações da saúde que são desenvolvidas na cidade, para que todos os moradores recebem os atendimentos da melhor forma possível, já que essa é uma área afastada das principais unidades de saúde do município”, pontuou a agente Maria Andreza, profissional responsável por atender a comunidade do Bairro Alpes Suíço.

O serviço de acompanhamento pela ACS, no bairro, acontece de segunda à sexta-feira, no horário das 7h às 13h, o que possibilita a realização de cerca de dez cadastramentos por dia, na identificação e descrição do perfil de cada morador. Sendo os diabéticos, hipertensos, gestantes e crianças de até cinco anos de idade os grupos de maior prioridade nesses acompanhamentos, mais de 180 pessoas já foram cadastradas.

Os moradores têm comentado sobre a qualidade dos atendimentos, como é o caso de Jucélia Santana.

“Quando a agente chega aqui, ela verifica o cartão de vacina da minha família e nos alerta sobre os procedimentos que devemos ter pra evitar doenças. O trabalho dela é ótimo e fico tranquila em saber que temos esse cuidado aqui no nosso bairro”, afirmou.

Outro morador que disse estar satisfeito com o trabalho que é realizado no bairro foi Beto Vaqueiro, dono de um mercadinho que fica no local.

“É bom ver que os profissionais de saúde dão uma força e ajudam no crescimento e no bem-estar do bairro. Essa área aqui está crescendo muito e, antes, era esquecida. Mas fico muito agradecido pelos serviços que chegam aqui agora. Isso é muito bom e estamos todos satisfeitos”.

Para sanar as dificuldades do bairro, devido à sua distância das UBS’s do município, a prefeitura também iniciou nesta terça-feira (09) um mutirão para realizar o cadastramento dos moradores, para que a secretaria implante uma unidade volante, que irá atender a população local a cada 15 dias, a partir do mês de novembro. Todo o trabalho tem sido realizado pelas equipes dos agentes comunitários de saúde.

Saiba mais sobre a função dos ACS nos bairros:

Os agentes comunitários de saúde, mais conhecidos pela sigla ACS, têm um papel fundamental na saúde da família. O ACS é o personagem central na relação entre os domicílios, Unidades Básicas de Saúde (UBS) e comunidade, atuando, também, em espaços comunitários, promovendo a prevenção de doenças e promoção da saúde, desenvolvendo paralelamente uma ação de acompanhamento da população. Com a criação Programa Saúde da Família (PSF,) desenvolveu-se a necessidade de um maior envolvimento entres postos de saúde e famílias, com o propósito de atingir positivamente a comunidade como um todo. Originou-se então a inserção dos ACS nessas equipes.

Para que o agente comunitário de saúde possa desempenhar bem o seu trabalho, é necessário que ele, inicialmente, conheça bem o seu território de atuação. Os ACS estão presentes em periferias e em comunidades rurais, como também, em locais industrializados e urbanizados. São profissionais que devem ter iniciativa, agir com ética e profissionalismo, identificando o potencial que uma região tem de crescer social e economicamente.

É função dos agente, também, a identificação de casos de violência familiar, uso e dependência de drogas, higiene doméstica, solidão do idoso, desemprego, exclusão social, qualidade de vida. Segundo o Ministério da Saúde, compete ainda a esse profissional:

• Fazer o cadastramento das famílias da comunidade;
• Realizar visitas periódicas domiciliares;
• Orientar, ouvir, acolher e direcionar o usuário do serviço público;
• Identificar através das famílias, problemas que podem estender-se às comunidades;
• Identificar e orientar, direcionando para correção de problemas com origem sanitária e de higiene;
• Acompanhamento e orientação de gestantes, e posterior acompanhamento do bebê.

Last modified: 10 de outubro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content