Parceria entre a UFRPE e Prefeitura castram animais de rua

18 de junho de 2018

Fotos: Anderson Souza / SECOM Gravatá

Na tentativa de diminuir o número de animais abandonados nas ruas, a Prefeitura de Gravatá, através da Vigilância Sanitária realiza em parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco para castrar cães e gatos.

Os procedimentos cirúrgicos serão realizados pelos professores e técnicos da UFRPE. Na ocasião os estudantes de medicina veterinária também receberão aulas práticas em locais de criatório de animais de Gravatá. As cirurgias estão sendo realizadas na Escola da Serra, de hoje (18) até a próxima quinta-feira (21).

Neste primeiro momento, os animais selecionados para castração foram indicados pelas ONGS que cuidam de animais de rua e precisam deste procedimento para encontrar um lar para os bichinhos.

“É bem mais fácil encontrar alguém para adotar um animal se ele for castrado, portanto esta ação é importantíssima. A gente faz um ato de amor quando evita que mais animais acabem nas ruas e a castração visa justamente isso, diminuir o nascimento de novos animais sem lar.” Falou Maria Lindomar, representante da AARG – Amigos de Animais de Rua de Gravatá.

O Secretário Executivo de Vigilância Sanitária, Carlos Romero, sinalizou que a parceria com a UFRPE continua e que novas ações serão realizadas.

“Pretendemos fazer outras ações a cada dois meses com os médicos veterinários do município. Vamos primeiro atender aos animais de rua e posteriormente atender aos animais de pessoas que não tem condições de realizar a castração de forma particular.” Afirmou.

Josilene Francisca adotou a cadela Galega há 5 anos, em uma feira de animais promovida pela AARG e conseguiu a castração através do Programa.

“A gente sempre deixa ela presa, mas na primeira oportunidade ela fugiu e ficou grávida de 9 filhotes, estando castrada deixa a gente mais tranquilo. A Galega é o xodó da casa, nossas vidas foram transformadas desde que a adotamos.” Contou.

A preferência para realizar a castração é nos machos, visto que a cirurgia é menos invasiva e a recuperação mais rápida, e também quando os machos são castrados, a tendência é que eles se tornem mais caseiros e menos agressivos.

Last modified: 18 de junho de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content