OPERAÇÃO PIPA GRAVATÁ: Cisternas de sítios e áreas mais afastadas serão abastecidas a partir de segunda

3 de março de 2017

Foto: Reprodução/Internet

Na manhã desta sexta (03), A COMDEC reuniu-se com a Comissão de Auditagem do 14º Batalhão de Infantaria Motorizada, responsável pela OPERAÇÃO PIPA em Gravatá, para reafirmar a parceria no abastecimento de água através de Carros-Pipa para as regiões mais afastadas do Agreste gravataense.

Essa parceria existe há alguns anos, mas só foi retomada essa semana, quando a COMDEC Gravatá procurou métodos para amenizar o problema de seca enfrentado pela população.

O Secretário de Meio Ambiente Aarão Lins, explicou o procedimento.

“Buscamos a ajuda do exército novamente, mostramos nossa necessidade e disposição para contribuir com o serviço. Daremos todo o apoio através da Prefeitura, da secretaria de Meio Ambiente, da COMDEC, o que não podemos é deixar os moradores sem o abastecimento.”

OPERAÇÃO PIPA: A partir da próxima segunda (06), quatro carros-pipa estarão ativos no município abastecendo a população.A água será retirada da barragem de Amaraji e encaminhada para os principais pontos de seca em Gravatá, aproximadamente 500 cisternas, que foram construídas pelo exercito, anos atrás, serão abastecidas, favorecendo 2100 pessoas com água própria para o consumo doméstico.

Segunda-feira, 10 cisternas serão abastecidas, são elas: Lagoa da Costa (2), Maria Isabel, Cotunguba, Nossa Senhora das Graças, Caetano, Tarrafa, Angico, Várzea Grande, Alto Grande e Caruá. Durante o mês, há a previsão que 170 caminhões-pipa sejam entregues para a população. P

COMDEC: Comissão Municipal de Defesa Civil, é o órgão municipal responsável pela execução, coordenação e mobilização de todas as ações de defesa civil no município. A COMDEC tem a importante missão de elaborar planos para evitar ou tratar de tragédias. A seca que atinge Gravatá, é uma delas.

O Secretário Executivo de Meio Ambiente e Coordenador da COMDEC Gravatá, Eufrázio Silva, explica o objetivo dessa parceria com o exército. “Precisamos procurar soluções para atender o morador mais distante que não tem condição de comprar água. Enquanto as condições climáticas não são favoráveis, é nosso dever suprir essa necessidade para amenizar o sofrimento da população.”

Last modified: 3 de março de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *