Mesa redonda: Mães de crianças do NAEE e CIG trocam experiência

10 de março de 2018

Fotos: Allan Torres / SECOM Gravatá

Uma tarde de encontro e troca de experiências proporcionou aos pais de pacientes do CIG (Centro de Inclusão Gravatá) e de alunos da rede municipal que possuem alguma deficiência, um momento de compartilhamento sobre suas vivências e sobre os desafios enfrentados diariamente.

A ação foi promovida pelo Núcleo de Assistência Educacional Especializada em parceria com o Centro de Inclusão Gravatá e teve como principal objetivo fornecer apoio e suporte aos pais e frisar que o município está engajado na luta para melhorar a qualidade de vida das crianças e adolescentes.

“Eles não estão sozinhos, temos uma rede para dar todo o suporte, para ajudar, cuidar e estimular o desenvolvimento de seus filhos. Esta tarde foi para cuidar um pouco do cuidador que se dedica tanto em prol daquele que mais ama.” Pontuou Simone Rocha, coordenadora do CIG e do NAEE.

O Palestrante Abdalaziz de Moura contou sobre sua experiência como pai.

“Não devemos tratar nossos filhos como ‘coitadinhos’, eles devem ser estimulados a realizar os próprios sonhos. Já ouvi muita gente dizer que o Helder não seria capaz, mas nunca desistimos e hoje temos um grande orgulho do homem que se tornou. É universitário, está casado, mora em outro estado e é independente e feliz.” Falou.

O amor, a atenção e o cuidado dado pelos pais reflete na criação e desenvolvimento dos filhos. Exemplo disso é Andrey Henrique, 11 anos, que mesmo tendo um diagnóstico de autismo, dificuldade de comunicação e locomoção, sua mãe não desistiu e incentivou o convívio e o aprendizado e hoje ele é um exemplo de superação.

“Eu sou autista e sou feliz. Passei muita coisa na vida, sei das minhas limitações mas não desisto nunca,  o meu autismo me faz especial e minha mãe me ama do jeito que eu sou. Quando crescer quero cuidar dela do jeito que ela cuida de mim.” Disse Andrey.

As mães participaram de um momento de reflexão e relaxamento e presentearam umas as outras com rosas e abraços, uma forma de demonstrarem apoio, respeito e compreensão.

O município incentiva a inclusão social nas salas de aula regulares e oferece todo o suporte para os alunos que precisam de cuidados e atenção especializada, bem como recebem acompanhamento médico, psicológico, fisioterapêutico, fonoaudiológico, entre outros, que estimulam o aprendizado e o desenvolvimento.

Last modified: 10 de março de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content