Mais de 400 moradores do Bairro Porta Florada já foram cadastrados pela Secretaria de Saúde

20 de agosto de 2019

Foto: Bruna Oliveira/SECOM Gravatá

Só nesta segunda-feira (19), mais de 400 moradores do Bairro Porta Florada já foram cadastrados pelo mapeamento do local que a Secretaria de Saúde. O objetivo da ação é fazer o levantamento da quantidade e do perfil das famílias do bairro para que a prefeitura elabore estratégias que tornem os serviços de saúde do município mais acessíveis à comunidade, visto que o bairro fica em uma região afastada das Unidades de Saúde da Família (USF’s) do município.

Dentre as medidas cogitadas para que isso seja possível, estão as ideias de implantação de um posto de saúde volante, em que, regularmente, os profissionais pudessem ir até à população para realizar exames e atendimentos médicos, ou até mesmo, a construção de uma USF no bairro.

Tatiana Fradique, representante dos agentes comunitários de saúde, disse que além dessas medidas, o Prefeito Joaquim Neto pretende levar outras melhorias para o Porta Florada, após a finalização do mapeamento.

“Em apenas um dia de cadastros, nós vimos as necessidades dessa comunidade. O prefeito tem o objetivo de investir, não só no campo da saúde, mas também, ele pretende ampliar mais a acessibilidade aos moradores desse bairro, no que diz respeito a outros serviços, como os de assistência social, educação e de saneamento básico, por exemplo. O intuito do nosso trabalho é proporcionar mais qualidade de vida pra essas pessoas”, informou.

Alguns moradores falaram de suas expectativas com relação às medidas que serão tomadas após o processo de cadastramento.

“Precisamos de melhorias pra o nosso bairro e essa atenção que estamos recebendo é muito boa, pois trará mais qualidade de vida pra gente. Antes, éramos esquecidos e, agora, estamos ganhando mais visibilidade. É importante que as pessoas se mobilizem e contribuam com essa pesquisa que eles estão fazendo, já que o prefeito está querendo nos ajudar”, falou a moradora Elizamar.

Durante a coleta de dados, que está sendo feita porta a porta pelos agentes de saúde, estão sendo recolhidas informações como o nome dos moradores, data de nascimento, quantidade de pessoas nas casas, dados do cartão de vacina, cartão do SUS, além do levantamento do número de moradores hipertensos e grávidas. A expectativa é a de que em duas semanas todo o processo já esteja finalizado.

Last modified: 20 de agosto de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content