IPSEG e Prefeitura participam de reunião na Câmara para dialogar com os Servidores Municipais

11 de abril de 2017

Fotos: Allan Torres / SECOM Gravatá

Representantes dos poderes legislativo, executivo, de associações e sindicatos de servidores públicos municipais e do IPSEG reuniram-se na manhã desta terça (9) para debater questões previdenciárias.
Atualmente o valor arrecadado pelo IPSEG não é o suficiente para pagar a folha de pagamento dos aposentados e pensionistas do município e a Prefeitura arca com o restante do valor, o que totalizou 6,8 milhões em 2016 e está previsto 8,4 milhões para 2017, e a cada ano o valor do aporte financeiro aumenta.

Pela primeira vez no município, um funcionário efetivo está a frente do IPSEG, para articular junto aos servidores, medidas que beneficie a classe da qual ele faz parte.

“Eu quero que as coisas aconteçam, quero trabalhar junto com vocês para melhorar a situação para todos. Estou estudando medidas, me capacitando, buscando conhecimento para entender a situação do município e saber como agir adequadamente. (…) Vamos criar um site da previdência para que o servidor possa acompanhar online o andamento dos trabalhos.” Falou o presidente do IPSEG, Dogivaldo Bezerra.

Durante a reunião foram debatido assuntos como a aposentadoria dos servidores, concurso público, compensação previdenciária (que será normalizada a partir de maio), os termos e leis de parcelamento do IPSEG e Prefeitura.

A Prefeitura comprometeu-se em entregar aos Sindicatos um relatório detalhado sobre os 100 dias de governo, para análise e prestação de contas. O prazo estabelecido foi para a semana seguinte a semana santa.

“Estamos saindo com data, com negociação, estamos sendo ouvidos pela atual administração, saímos daqui com uma boa resposta.” Disse o presidente do SINDSGRA, Marcelo Britto, que representou as demais associações e sindicatos presentes, como a AMACS, AMACEG e SINDACS.”

 

Os servidores solicitaram que o presidente do sindicato estudasse a unificação dos fundos previdenciário (depois de 2006) e financeiro (antes de 2006), em resposta o presidente alegou que só poderá fazer o estudo após receber o atuário referente ao ano de 2016. O aumento da alíquota patronal também foi citada como sugestão pelos servidores.

O Secretário de Governo, Joeides Pereira, afirmou que este é um importante momento para os servidores, visto que na atual gestão funcionários efetivos possuem cargos de grande representação, como é o caso da Secretária de Finanças Paula Gama, do chefe da Guarda Municipal, Everaldo Araújo, e do diretor-presidente do IPSEG, Dogivaldo Bezerra.

“Esse governo tem um enorme compromisso com o servidores públicos, a prefeitura quer dialogar. A luta sindical é importante, mas é preciso saber quais estratégias usar, para que não se quebre o diálogo que o atual governo quer ter com todos. (…) Vamos restabelecer os conselhos e criar a Casa dos Conselhos para buscar a compreensão e trabalharmos juntos.” Afirmou o secretário.

 

A Prefeitura fará o levantamento de documentos que proporcionam a prestação de contas de anos anteriores para dar clareza ao parcelamento de débitos e certidões negativas.

O Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Leonardo José (Léo do Ar) presidiu a reunião, que contou com a participação de vereadores e servidores municipais.

Last modified: 11 de abril de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *