Hospital das Clínicas realiza mutirão em Gravatá no próximo sábado (1) para identificar casos de glaucoma – Prefeitura de Gravatá Hospital das Clínicas realiza mutirão em Gravatá no próximo sábado (1) para identificar casos de glaucoma – Prefeitura de Gravatá

Hospital das Clínicas realiza mutirão em Gravatá no próximo sábado (1) para identificar casos de glaucoma

29 de março de 2017

Reunião de planejamento da ação no mês de fevereiro: prefeito Joaquim Neto e os representantes do Luís Feitosa Lions Eulália Vasconcelos, Nilsa dos Santos e Virginia Feitosa

O serviço de Oftalmologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC/UFPE) realizará no próximo sábado (1º) em Gravatá, um mutirão para identificar pessoas com glaucoma. A iniciativa acontecerá das 8h às 13h, no Centro Recreativo 15 de Novembro. Não é necessário agendamento prévio para participar da ação, destinada a pacientes com mais de 40 anos.

A mobilização será realizada por 20 médicos do Hospital das Clínicas – entre residentes, preceptores e professores – e voluntários do Lions Club. Os pacientes serão submetidos a aferição de pressão ocular e exame de fundo de olho, testes que detectam a doença. Se for detectado o glaucoma (ou outras doenças, como a catarata e outras), o paciente será encaminhado para tratamento no Ambulatório de Oftalmologia do HC. O público também receberá diversas orientações médicas.

“O glaucoma não apresenta sintomas, por isso é importante consultar regularmente um oftalmologista para a realização de exames. Não tem cura, mas se diagnosticado precocemente, é possível ser controlado. Se não for tratado, o glaucoma provoca cegueira”, reforça a chefe do serviço de Oftalmologia do HC, Isabel Lynch. O Hospital das Clínicas é vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

As pessoas com maior propensão à doença são as que possuem casos na família (caráter hereditário), os afrodescendentes e aqueles com mais de 40 anos de idade. O glaucoma atinge 2% da população acima dessa faixa etária e é uma das principais causas da cegueira irreversível, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

No Brasil, a doença atinge mais de 900 mil pessoas e é causada principalmente pela elevação da pressão ocular, provocando lesões no nervo ótico e, como consequência, a perda gradativa da visão. O tratamento é feito com uso de colírios que reduzem a pressão ocular.

Last modified: 29 de março de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content