Gravataenses prestigiam e comemoram a inauguração de Centro de Inclusão Gravatá (CIG) nesta segunda (27)

28 de março de 2017

Fotos:Anderson Souza e Allan Torres / SECOM Gravatá

O dia da inauguração do Centro de Inclusão de Gravatá ficou marcado na história da cidade, segundo gravataenses ilustres e anônimos, como um marco no avanço da inclusão no município, um sonho realizado. O pátio em frente do Parque da cidade ficou lotado de portadores de deficiências, familiares, profissionais da área e pessoas de diversos setores da sociedade local.

O representante da  Coordenação Regional de Saúde do Estado – IV Geres, afirmou que foi surpreendido  pelo grande envolvimento da população com os acontecimentos do município. ” Em nenhum outro lugar  vi as pessoas cantarem o hino da sua cidade assim, com tanto amor, do início ao fim”

 

 

A abertura do espaço foi antecedida por uma solenidade onde representantes de todos os envolvidos na estruturação do espaço, da Câmara de Vereadores, o prefeito, o vice prefeito, a primeira dama e secretários municipais fizeram as suas colocações sobre a importância da implantação do CIG. O padre Erasmo deu as suas bençãos antes do corte simbólico da fita e descerramento da placa de inauguração. Portadores de deficiência auditiva da Escola Cônego Eugênio Vila Nova recitaram um poema na linguagem de libras e bailarinos de escola de dança da cidade também fizeram uma emocionante apresentação.

Dentro do espaço, todos puderam conhecer uma inovadora tecnologia que permite os portadores de tetraplegia utilizar um equipamento que possibilita, apenas com o movimento da cabeça,fazer o controle de computadores, televisão, luzes e outros aparelhos eletrônicos. A demonstração foi feita pela portadora de tetraplegia Elaine Paz, que atualmente faz dois cursos universitários e trabalha no Portal de Transparência da cidade do Recife. A tecnologia do Instituto Hands Free, parceira do CIG, encantou a todos e foi testada por uma portadora de deficiência gravataense que aprovou a proposta.

” Quando a gente consegue fazer alguma coisa, se sente a pessoa mais útil do mundo” Elaine Paz – universitária e tetraplégica

As autoridades e o prefeito fizeram questão deixar as marcas da suas mãos com na “Parede de Solidariedade” que existe no espaço, que conta com sala de fisioterapia, consultórios, salas de lanche e de leitura, administração e banheiros adaptados. Uma equipe formada por psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiológos, terapeutas ocupacionais, psiquiatra e atendentes irão oferecer diversos serviços. O CIG  irá atender os 220 portadores de deficiências matriculados na Rede municipal de ensino e os jovens encaminhados pelos PSFs, a estimativa é de  que há  mais de 670 jovens e adolescentes com algum tipo de deficiência em Gravatá.O CIG iniciará o atendimento já nesta terça (28), nos horários da manhã e tarde

” Em nome dos três paratletas campeões de Gravatá, dedico essa obra a todos meninos e meninas dessa cidade e que Deus me dê a cada dia energia para trabalhar. Pedi em Brasília ajuda para o parque da cidade, R$ 450 mil para adaptar o espaço para  pessoas com deficiência.  Essa obra de hoje é umas das maiores da minha gestão, tenho a sensação de cumprimento de dever que me faz muito bem.  Que o projeto cresça e que vocês tomem conta dele”. Prefeito Joaquim Neto

 

“Cristo ouviu as minhas preces, o meu apelo.  É o dia mais feliz desde o tempo feliz da minha infância. Nós vemos a marca de Monsenhor Cremildo  neste momento de solidariedade plantado pelo prefeito Joaquim Neto. A esperança está forte, está de pé. A gente vê a esperança brilhar”. Madalena Medeiros- empresária

 

 ” O sentimento é de muita alegria, de poder  atender as crianças nesse espaço  e que foi organizado para eles”.    Ana Patrícia – secretária de Educação

 

” É bonito encontrar um prefeito e secretários que sonhem e fazem uma obra tão importante em pouco tempo de governo. É isso que queremos:  que Gravatá volte a sonhar. Para dar certo é necessário que cada um pense e trabalhe para dar certo”. Padre Erasmo Deodato.

 

“Eu tenho na imagem da minha avó, Amélia de Andrade, que ama a nossa cidade como eu, o sentimento de que estamos fazendo o nosso papel e vamos fazer com excelência se Deus quiser”. Ana Andrade – secretária de Desenvolvimento Social e Juventude

 

“É um avanço o que Gravatá está fazendo, um esforço de equipe e que atende o Estatuto da Pessoa com Deficiência. A inclusão é um desafio. Tenho a esperança de colaborar com.minha experiência de vida profissional. Há 20 anos ajudei a construir o SERC. Sou uma mulher que luta, que não se rende diante de atitudes que não constroem”. Conceição Moura- mãe de deficiente

 

“Estou imensamente feliz por ser madrinha desse Centro, um sonho que se concretizou em apenas três meses. Convoco a todos a participar. Que as mães se envolvam nesse projeto. Essa felicidade não é só de vocês que são especiais, mas de todos nós. Estamos buscando ser uma cidade que se orgulha e ser gravataense. Venham ajudar dá forma que puder. Participem”.  Fátima Felix 

 

“É um novo momento, único. Estamos apoiando as boas iniciativas, a nossa palavra na Câmara é unidade. Estamos unidos em prol de Gravatá. Todo projeto que beneficie Gravatá  que for colocado na Câmara, vamos aprovar”, Leonardo Silva – presidente da Câmara de Vereadores

 

“É a  volta de uma cidade com a certeza de que dias melhores virão. A esperança colocada nas suas mãos do povo.  É importante a participação de cada um de nós, que todos sejam colaboradores” Danilo Melo – vice prefeito

 

Last modified: 28 de março de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *