Escola da ODIP realiza culminância do Projeto Maria da Penha Vai à Escola nesta terça (17)

17 de setembro de 2019

 

Fotos: Ricardo Labastier

O Centro de Formação do Menor Carmem de Oliveira e Silva, escola que funciona no prédio da ODIP, realizou nesta terça-feira (17) a culminância do Projeto Maria da Penha Vai à Escola. Através da poesia de cordel, do teatro e da música, os estudantes puderam apresentar tudo o que aprenderam durante o mês de agosto, através de projetos pedagógicos e palestras que abordaram o tema do combate à violência contra a mulher.


“Nesse ano, desenvolvemos o projeto em todas as classes. Cada professor trabalhou a temática de uma forma especial, trazendo a mensagem com muito cuidado e carinho. O que os alunos aprendem aqui levam pra casa, disseminando o conhecimento e a conscientização entre a família,” pontuou Joanita Gonçalves, a Gestora Escolar da unidade de ensino.

A estudante do 7º Ano, Raiane Maria, falou sobre a trajetória do desenvolvimento das atividades do projeto.


“Nós realizamos vários trabalhos e tivemos aulas com os professores sobre esse assunto. Aprendemos sobre os diferentes tipos de violência, por exemplo. Lemos muita coisa também. É importante estudar isso porque nós, mulheres, precisamos aprender a nos defender e a não nos calar,” enfatizou.

“Realizamos nas escolas esse programa porque é lá onde temos maior público e, assim, podemos contribuir para a formação crítica de cidadãos. Através da escola, podemos colaborar para que, cada vez mais, haja pessoas que pensem diferente e lutem para a erradicação da violência doméstica. A dinâmica realizada nessa instituição foi muito eficaz, pois pudemos ver o grande esforço dos professores e a descoberta de talentos, através dessa culminância,” explicou Taciana Medeiros, Secretária da Mulher.

O Vice-Prefeito Danilo Melo acompanhou todo o evento e falou sobre a importância da implementação do projeto junto às escolas da rede municipal de ensino.


“A grande importância de termos a Lei Maria da Penha, enquanto conteúdo nas escolas, é que elas representam um espaço de disseminação de conhecimento humanizado, não se resumindo a ensinar apenas matérias básicas, mas preparando o cidadão para o mundo lá fora. Com esse programa, desde pequeno, o cidadão gravataense aprende a ter respeito com relação à mulher e, também, à sociedade em geral. Temos uma gestão que investe em políticas públicas e vemos os resultados positivos através desse tipo de evento,” registrou Danilo Melo.

Desde o ano de 2017, a Secretaria da Mulher, em parceria com a Secretaria de Educação, realiza o Projeto Maria da Penha Vai à Escola nas instituições de ensino do município, durante o mês de agosto, através de atividades lúdicas e de conscientização. Gravatá também conta com a Lei Municipal nº 3774/2018, que completa um ano em 2019, e dispõe da obrigatoriedade do ensino de noções básicas sobre a Lei Maria da Penha, enquanto tema transversal do currículo. A lei é de autoria do Prefeito Joaquim Neto, tendo sido aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal dos Veradores.

Last modified: 17 de setembro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content