Dia Nacional das Reservas Particulares do Patrimônio Natural: Conheça as quatro RPPN’s de Gravatá

31 de janeiro de 2019

Fotos: SECOM Gravatá

Um espaço de preservação da natureza, onde cada elemento natural possa seguir seu ciclo de vida sem a interferência do homem. Seja nas zonas rurais, seja nas áreas urbanas, as reservas ambientais estão presentes em vários lugares para nos lembrar do quão importante é preservar e respeitar a vida que nos cerca.

Nesta quinta-feira (31), o Brasil comemora o Dia Nacional das Reservas Particulares do Patrimônio Natural – (RPPN’s) e o município de Gravatá tem quatro bons motivos para celebrar esta data. Dois deles estão localizados no agreste e os outros dois em brejo, regiões do município.

As Reservas do Benedito e da Serra do Contente, localizadas na região do Brejo, são áreas de preservação do bioma da Mata Atlântica. Pintando o horizonte de verde, essas reservas esbanjam uma vasta variedade de espécies de árvores, plantas e animais típicos.

Do outro lado da cidade, no Agreste, é possível ver um cenário em contrate. As reservas de Santo Antônio e do Karawá Tã possuem hectares de um bioma exclusivamente brasileiro, a Caatinga, caracterizada pela vegetação com pouca folhagem e adaptadas para o clima árido.

A Prefeitura de Gravatá tem trabalhado para incentivar a criação de novas RPPN’s e se coloca à disposição para proprietários que queiram fazer parte do time de “guardiões da natureza” e transformarem suas propriedades privadas em um local de conservação da diversidade biológica.

“A prefeitura tem um programa de incentivo à criação de novas reservas particulares e temos, em média, cinco proprietários interessados em transformar suas extensões de terra em RPPN’s. Estamos acompanhando todo o processo de documentação, orientando e auxiliando para que, se tudo der certo, até o final de 2019 tenhamos mais 250 ha de mata preservada em nossa cidade,” falou Aarão Netto, Secretário de Meio Ambiente e proprietário da Reserva do Benedito.

As RPPN’s surgem com o objetivo de garantir a proteção de recursos hídricos, o manejo de recursos naturais, desenvolvimento de pesquisas científicas, atividades de ecoturismo, educação, manutenção do equilíbrio climático e ecológico, bem como, a preservação de belezas ambientais e históricas, proporcionando uma experiência única de tranquilidade e contato com a natureza.

Conheça as Reservas Ambientais de Gravatá:

RPPN do Benedito
Titulação pelo CPRH: 31 de maio de 2014


Localizada na Fazenda Paraíso, há 18km do Centro de Gravatá, a RPPN do Benedito possui 18,6 ha de Mata Atlântica, onde foram registradas 107 espécies da fauna e flora. Entre as árvores registradas, destacam-se as espécies de pau faia, gororoba, leiteiro, sucupira cari, urucuba e cigarrinha. Também foram encontradas aves do tipo tiziu, bem-te-vi, anu-preto, papa-taoca, jacu e araquã. Para os mamíferos, as espécies encontradas foram a jaguatirica, paca, tatu-verdadeiro, tatupeba, sagui e papa-mel. Além disso, foram catalogados répteis como, a cascavel, o calango, o teiú, camaleão e jararaca. Há ainda o destaque para a presença rara de colônias de uma espécie de caranguejo de água doce o Trichodactylus fluviatilis.
A reserva oferece atividades de lazer e contato com a natureza através de trilhas, pesquisa científica e educação ambiental. Ela também se destaca pelo grande número de nascentes de água doce, que abastece o rio Amaraji.
A área é mantida pelo proprietário Aarão Lins de Andrade Netto.
Ao lado da RPPN Benedito está a Reserva Floresta de Jussará, com 136 ha de Mata Atlântica preservada. O proprietário da área é Aarão Filho, pai de Aarão Netto. A reserva é também patrimônio ambiental. 

As visitações são realizadas de forma agendada. Os interessados podem entrar em contato através do telefone 81 9161-7880 (Mário Alves).

RPPN Serra do Contente
Titulação pelo ICMBio em outubro de 2008

A Reserva Serra do Contente está situada em uma área de transição entre o bioma de Mata Atlântica e o bioma Caatinga, a uma distância de 7km da área urbana do município de Gravatá. O proprietário Eronildes Alves Filho adquiriu a propriedade com o propósito de preservar o ecossistema existente. Desde então, a principal atividade é o turismo ecológico e ecopedagógico.
Localizada a uma altitude de 800m acima do nível do mar, as matas se contrapõem aos ventos alísios de sudeste, o que traz umidade e chuvas para a região, contribuindo para que o município de Gravatá tenha recebido o título de 5º melhor microclima do mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde – (OMS).
É possível encontrar espécies de árvores como, munguba, ipê amarelo, jacarandá, imbiriba, entre outras. A fauna possui aves do tipo sabiá-branco, papa-capim e até o raro gavião de rabo barrado. Entre os mamíferos, há jaguatirica, quati, raposa e capivara. Além disso, há répteis, como cascavel, teiú, calango, camaleão, cágado e jararaca.
Toda essa biodiversidade atrai visitantes e estudiosos de vários lugares do mundo. A reserva já recebeu mais de 13 mil visitantes até janeiro de 2019.
Quem quiser conhecer o espaço pode agendar visita através do telefone 81 9 9901-8092 (Eronildes).

RPPN Santo Antônio
Titulação pelo CPRH: 03 de setembro de 2014

Abrange uma área equivalente a 119,75 hectares entre a fazenda Santa Clara e a Fazenda Santo Antônio, localizadas no município de Gravatá. Ela está localizada há 87 km da capital pernambucana.
A RPPN Santo Antônio está inserida no Planalto da Borborema. Apresenta um relevo marcado com a ocorrência de um conjunto de serras com altitude entre 400 e 800 metros, tendo um papel fundamental na rede hidrográfica e no clima da região.
É considerada um refúgio de áreas da Caatinga e da flora rupestre, além de abrigar inúmeras espécies da fauna e da flora raras e ameaçadas de extinção. Foram elencadas na RPPN, cerca de 80 espécies na flora e é possível encontrar a macambira de anzol, pereiro, coco-catolé e orquídeas terrestres. Na fauna, há 17 espécies de anfíbios, répteis, aves e mamíferos, como a seriema, carcará e o gato do mato, que está ameaçado de extinção.
O local não é aberto à visitações.

RPPN Karawa-Tã
Titulação pelo CPRH: 06 de janeiro de 2009

A RPPN Karawa Tã possui 1 milhão de m² e está localizada na microrregião do Vale do Ipojuca, no município de Gravatá, sendo considerada a maior área de preservação de Caatinga em área urbana do Brasil.
Ela possui relevo ondulado com afloramentos rochosos e riachos intermitentes.
Após levantamento de campo sobre elementos representativos da fauna e da flora da propriedade, foram catalogadas espécies como juazeiro, algaroba, aroeira, baraúna e angico, dentre outras espécies da região. Na propriedade, foi registrada ainda a existência de mamíferos como raposa, tatu, além de répteis e aves próprias do bioma Caatinga.
Para proporcionar uma experiência ainda melhor aos visitantes, ao redor da reserva está sendo construído o maior parque de ecoturismo e turismo de aventura do Norte e Nordeste. A inauguração está prevista para junho de 2019.
Devido às obras do parque a RPPN não está aberta à visitação. A partir de junho os interessados podem conhecer o local e desfrutar de atividades ecológicas, entretenimento e aventura.

Last modified: 31 de janeiro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content